sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Irmãos


Observando meus filhos aprendi como é bonita a relação entre irmãos.
Com meu irmão eu vivi isso, não fiquei analisando ou medindo. Simplesmente vivi, com amor e raiva, com afeto e desavença, com cumplicidade e impaciência, com carinho e distanciamento. Agora, acompanhar a relação da Catarina e do Miguel é diferente. É participar da construção da história mais bonita que existe numa família: o vínculo entre irmãos.
Por aqui, o diabetes chegou antes do Miguel. Mais ou menos com uns dois meses de diferença. Portanto, aplicar insulina, medir glicemia, contar carboidratos faz parte da vida do nosso caçula. Essa rotina é dele também. Desde o dia em que ele nasceu acompanha a irmã com devoção e adoração, em tudo o que ela faz. Observa atentamente. Não perde um detalhe.

Pois bem, dia desses ao ver a irmã aplicar insulina após o almoço, ele pede, do seu jeitinho, para que façamos nele também. Logo a Catarina tirou a agulha da caneta e fez de conta que aplicava na barriga dele. Adivinha? Ele adorou! Foi como se agora ele fizesse parte do time, autorizado a entrar em campo, recebendo as bençãos da irmã. Desde então, guardamos uma caneta vazia para quando ele quiser “fazer” a insulina dele.

A atração de Miguel pelas coisas da irmã começou cedo. Quer pegar o estojo do glicosímetro, corre para mexer no lancetador, fica torcendo que algo caia no chão. Como um cachorrinho que espera por migalhas embaixo da mesa.

Fiquei pensando em como é importante o apoio que um irmão pode dar ao outro. Comendo coisas mais saudáveis, aprendendo a cuidar, se interessando pelas coisas do irmão, participando. E como pode ser difícil, quando temos que mudar os hábitos com toda a filharada porque para um deles isso é vital.

Não sei como será daqui pra frente. Sei que agora eles formam não uma dupla, mas um time.

Abraço, Simone.

7 comentários:

  1. Simone é bem isso, aqui descobrimos o DM do João no mês em que o Julio ia fazer 1 aninho e desde então eles participa juntamente com nós pais desta etapa de vida do irmão.
    Vc falou da caneta de insulina, dias desses sem mentiras (pq isso é feio) o Julio quis fazer o teste de glicemia igual o irmão, fiz de conta que furei o dedinho dele e ele "fais mãe", pois furou o dedinho de verdade, coloquei no glicosímetro e mostrei pra ele, saiu todo contente como se tivesse feito a melhor coisa do mundo.
    Nossos filhos, nossos mestres.
    Um beijo pra vc e sua família, fica com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por essa familia linda que tem.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, Silvia. Descobrimos a 3 dias que nossa filha de 12 anos esta com DM1. Gostariamos de manter contato com vcs para troca de experiências. Ficaríamos muito agradecidos. luizalves.internet@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Adelia Maria Holanda Silva2 de março de 2012 16:27

    Simone, como sempre me emociono bastante com tudo que envolva crianças com diabetes, a diferença dos meus filhos são 07 anos e o docinho é o mais novo. Então o mais velho é um verdadeiro guardião do mais novo, desde o começo ele participa de tudo desde as consultas até a aplicação de insulina. Quando é começou a estudar a professora dizia que sempre ele estava vigilante ao irmão, procurando saber se tudo estava em ordem.
    E o meu verdadeiro guardião, cuida do irmão com tanta dedicação e esmero, que muitas vez esqueço que ele so tem 12 anos.

    ResponderExcluir
  5. Que lindo Simone e Catarina! Emocionante! Indiquei o blog a uma prima do Regis, que descobriu que sua filha de 3 anos esta com DM. Tomara que façam contato! Bjo grande a vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, estamos a disposição!!!!!Pode dar meu contato simmmm!!!! Meu e-mail: simone.psi@hotmail.com
      Beijossss

      Excluir